Bairro do Irajá
Rio de Janeiro
História e Curiosidades

Biblioteca

Histórico

(Elaborado pela direção da Biblioteca-cedido ao pesquisador como cortesia.)

A Biblioteca Popular de Irajá João do Rio, foi inaugurada em 16 de julho de 1959, com o nome de Biblioteca Popular de Irajá. Fazia parte da rede de Bibliotecas Popular subordinadas ao Serviço de Bibliotecas do Departamento de Educação Complementar.

Pelo despacho no processo 3299740/53 publicado no Diário Oficial de 22 de setembro de 1953, as Bibliotecas Populares passaram a Biblioteca Municipal.

O Decreto "N" n° 253 de 1984 do Estado da Guanabara, transformou as Bibliotecas Populares em Regionais, vinculadas a Divisão de Bibliotecas e Documentação.

Pelo Decreto n° 15 de 23 de maio de 1975, a Prefeitura do Rio de Janeiro, criou a Divisão de Documentação e Biblioteca subordinada ao Departamento Geral de Cultura da Secretaria Municipal de Educação e Cultura. Por este Decreto as Bibliotecas Regionais integram a nova Divisão.

A Biblioteca Regional de Irajá foi instalada numa pequena loja à Avenida Monsenhor Félix, 420 e começou a funcionar com um acervo de 1.466 livros.

Esta inscrita no INL sob o n° RM 9060 PM desde 30 de maio de 1960 e no Conselho Regional de Biblioteconomia, 7° Região, sob o n° 26 desde 02 de dezembro de 1975.

Sua primeira responsável foi a bibliotecária Aracy Alves Fernandes Guimarães (1959/1960); seguida pela escriturária Maurea Duarte Taylor (1960/1965); Adalgisa da Silva Moraes (1965/1985) e a partir de 1985 até a presente, pela bibliotecária Etina Guedes Antolin.

Em 1991, pelo Decreto n° 10205 foi criado o patrono da Biblioteca que passou a se chamar Biblioteca Popular de Irajá João do Rio.

Em 18 de dezembro de 1992, foi inaugurada as novas instalações adequadas a sua finalidade, com área útil de 750m2., com auditório, espaço para exposições, seção infantil (brinquedoteca, gibiteca), seção de referência, revistas, jornais.

É a primeira Biblioteca Popular a ter um prédio próprio com instalações para uma Biblioteca.

 

Desenvolvido por Jorge Rodrigues